Aleilton Fonseca

 Autor baiano, escreve ficção, poesia e ensaios. Publicou em poesia: Movimento de Sondagem (1981), O espelho da consciência (1984); Teoria particular (mas nem tanto) do poema (1994) e As formas do barro & outros poemas (2006). Une rivière dans les yeux / Um rio nos olhos. (2012). Un río en los ojos. New Orleans: University Press of the South, 2013. Tradução de Alain Saint-Saëns. Em ensaio, vale citar as produções: Enredo romântico, música ao fundo (1996) e Guimarães Rosa, écrivain brésilien  centenaire (Bélgica, 2008) e O arlequim da Pauliceia: imagens de São Paulo na poesia de Mário de Andrade (2012). Publicou em conto: Jaú dos Bois e outros contos(1997), O desterro dos mortos (2001), O canto de Alvorada (2003), Les marques du feu et autres nouvelles de Bahia (França, 2008), e A mulher dos sonhos & outras histórias de humor (2010), As marcas da cidade (2012), La femme de rêve (Canadá, 2013); Il sapore delle nuvole. (2015). Seus romances publicados são: Nhô Guimarães (2006), O pêndulo de Euclides (2009) e a novela Memorial dos corpos sutis. (2012). Tem realizado palestras em universidades no Brasil e no exterior. Tem textos e/ou livros traduzidos em francês, espanhol, inglês, neerlandês, italiano e alemão.

Contato

9 + 14 =

Share This