Ministério da Cultura e Instituto CCR apresentam

O ator Jackson Costa tem 32 anos de uma carreira de sucesso no teatro, cinema e televisão, com peças que foram sucesso de critica e formadora de publico no teatro baiano a exemplo de Los Catedrasticos, Dona Flor e Seus Dois Maridos, (encenada para a comemoração dos 80 anos de Jorge Amado, que lhe rendeu o elogio do escritor como o melhor Vadinho que ele viu nos palcos do mundo), Vixe Maria, Deus e o Diabo na Bahia; A Paixão de Cristo, (representando Jesus}, entre outras. Foi um dos primeiros atores baianos a fazer atuações expressivas na TV Globo, a exemplo do especial O Auto de Nossa Senhora da Luz que representou o Brasil no Oscar da TV Americana, fez novelas e minisséries de sucesso como Renascer, Pedra Sobre Pedra, Duas Caras, Gabriela, O Romance da Pedra do Reino, dentre outros, está no ar na nova novela da Globo Segundo Sol. É um dos poucos atores do Brasil a desenvolver um trabalho de interpretação de poemas, explorando-os nas suas diversas maneiras, aproximando a poesia do povo, a ponto de ser chamado, por muitos, de poeta, tendo um trabalho consistente com poesia, onde viajou por vários lugares do Brasil com o espetáculo A Coisa, juntando ritmos à poesia e que foi o precursor do Sarau do Poeta. Fez vários trabalhos como diretor de teatro e de espetáculos como Love, cuja a atriz, Cyria Coentro ganhou o premio de melhor atriz no Premio Braskem de Teatro, Canto Pela Paz 1 e 2, Por Uma Folha, show da cantora Flavia Wenceslau que foi indicada como melhor interprete para o Premio Caymmi de Musica edição 2017. O velho Homem Rio, show de Celo Costa com o qual Jackson Costa foi indicado ao Premio Caymmi de Musica para concorrer como melhor direção artística edição 2017 e o novo show de Flavia Wenceslau ‘Minha Musica tem História”.