Ministério da Cultura e Instituto CCR apresentam

Márcio Souza nasceu em Manaus, Amazonas, em 1946. É romancista, diretor de teatro e ópera. Fez seus primeiros estudos em Manaus, o curso primário no Grupo Escolar Princesa Isabel, ginasial e científico no Colégio Dom Bosco e Ciências Sociais na Universidade de São Paulo. Escreveu críticas de cinema e artigos em diversos jornais e revistas brasileiras, como SENHOR, STATUS, Folha de São Paulo e A Crítica. Em 1976 lançou seu primeiro romance, “Galvez, Imperador do Acre”, que foi sucesso mundial de crítica e de vendas. Como administrador foi Diretor de Planejamento da Fundação Cultural do Amazonas, Diretor da Biblioteca Nacional e Presidente da FUNARTE. Foi professor assistente na Universidade de Berkeley e escritor residente nas universidades de Stanford, Austin e Dartmouth. Como palestrante foi convidado pela Sorbonne, Heidelberg, Coimbra, Universidade Livre de Berlin, Harvard University e Santiago de Compostela.  Dirigiu o TESC – Teatro Experimental do SESC do Amazonas, hoje extinto. É membro da Academia Amazonense de Letras e Presidente do Conselho Municipal de Política Cultural. No teatro escreveu, entre outras, as peças “As Folias do Látex”, “A Paixão de Ajuricaba” e “Carnaval Rabelais”. Na literatura escreveu os romances “Mad Maria”, “Operação Silêncio”, “O Fim do Terceiro Mundo” e, no momento trabalha na tetralogia “Crônicas do Grão Pará e Rio Negro”, tendo já lançado três volumes: “Lealdade”, “Desordem” e “Revolta”. Pela Editora Record publicou recentemente o livro “Amazônia Indígena” que vai lançar em breve o ensaio “História da AmazÔnia”..