Marcos Peralta, poeta , arte-educador e ativista cultural, é coordenador do CPA7P (Coletivo Poesia Além das Sete Praças), um dos fundadores do MACCACA(Movimento Artístico Cultural dos Coqueiros Azuis no Concreto Asfalto). Autor dos livros publicados”Uns Cantos do Viva MaCcaca” lançado em 2008, com edição esgotada, e  “Estalos e Faiscas das Asas do Vento”, contemplado pelo Edital Público da Secult-Ba ( Secretaria da Cultura do Estado da Bahia) em 2015. Realiza a publicação regular independente de Livretos de Poesia, a partir de uma folha de papel ofício, que consiste na coletânea de poetas variados da Bahia e do Brasil.

O poeta tem mais de mais de 20 anos de militância poética tendo participado de Bienais de Cultura da UNE, Forum Social Mundial(2004 e 2018), Projeto Poesia em Trânsito,Caruru dos Sete Poetas (Cachoeira) ) , FLICA,  jornadas literárias em Ipirá, Camamu, Lauro de Freitas, Irará, Lençóis, Porto Velho(RO), Aracaju(Se) entre outros.

Realiza a interpretação performatizada de Castro Alves desde 2001, no Bloco Lítero- Carnavalesco O Boca de Brasa , no Cortejo Poético do Dia Nacional da Poesia – 14 de março- da Praça  Piedade até a Praça Castro Alves, Rota da Independência(Cachoeira, Muritiba, Maragogipe, Gov. Mangabeira), encenação da Morte e Ressurreição de Castro Alves, do Colégio Estadual Ypiranga até o Largo Dois de Julho, dentre outros eventos de incentivo à leitura e o despertar lúdico e interativo  do encantamento da literatura brasileira e universal.

Atualmente o poeta participa como organizador e mobilizador de dois saraus calendarizados de Salvador: Sarau  Além das Sete Praças ( toda última quinta-feira do mês) e Sarau Macumbar (toda primeira quinta-feira do mês); e também encontra-se envolvido no projeto do Sarau do Goethe, que acontece toda terceira  quarta-feira do mês na Biblioteca do ICBA.

O poeta também desenvolve um trabalho poético-musical autoral e transversalmente transcendental  com o grupo “Conexão Estalos e Faíscas”

Por fim, e quem sabe para começar tudo de novo, é pai de dois rebentos sinestésicos: Ícaro Sol e Maria Cecília.