@ET-DC@eyJkeW5hbWljIjp0cnVlLCJjb250ZW50IjoicG9zdF90aXRsZSIsInNldHRpbmdzIjp7ImJlZm9yZSI6IiIsImFmdGVyIjoiIn19@

Narlan Matos (Brasil/EUA) 1975. É um dos poetas latino americanos mais traduzidos no mundo hoje. Aos 21, estreou com Senhoras e senhores: o amanhecer, vencedor do Prêmio Copene de Literatura (atual Braskem) em 1997, e publicado pela Fundação Casa de Jorge Amado. Seu segundo livro, No acampamento das sombras, lhe rendeu seu primeiro prêmio nacional, o Prêmio XEROX de Literatura Brasileira, em 2000.  Aí começa sua escalada internacional, sendo convidado para representar o Brasil em vários festivais internacionais. Seu terceiro livro de poemas Elegia ao Novo Mundo, publicado pela editora 7 Letras, foi indicado ao Prêmio Internacional Portugal Telecom. Tornou-se interlocutor de Noam Chomsky, com quem já se encontrou duas vezes, no MIT, e com quem mantém vasta correspondência. Seus poemas já foram publicados em muitas línguas, incluindo o esloveno, español, italiano, vietnamês, chinês, croata, lituano, alemão, Japonês, inglês, romeno, espanhol, sueco, francês, hindu e russo. Recentemente, comemorando seus 20 anos de literatura, quatro antologias poéticas completas foram publicadas com sua obra, na Eslovênia, Japão, Itália e Espanha, com ampla repercussão de crítica. Um alaúde, a península e teus olhos negros, seu quarto livro de poemas, saiu no Brasil, pela editora Penalux, em 2015. Em 2017, a Universidade da Costa Rica publicou Elegia ao Novo Mundo em espanhol. Sua turnê mundial 2017 passou por Itália, Cuba, Porto Rico, Costa Rica e Alemanha. Em 2018, publicou Canto aos homens de boa vontade, muito bem recebido por críticos internacionais como Andrej Codrescu e Anatoliy Gakh.

Contato

2 + 9 =

Share This