Anselmo José da Gama Santos nasceu em 19 de fevereiro de 1955 no bairro de Realengo no antigo Estado da Guanabara, hoje Rio de Janeiro. Ainda adolescente em 1969, foi levado por parentes próximos para residir em Salvador/Bahia, onde teve seu primeiro contato com as religiões de matrizes africanas. No final do ano de 1974 regressou ao Rio de Janeiro e iniciou-se no Candomblé de etnia Congo/Angola, representante da cultura Banto.

Em 1980 retorna a Bahia e ratifica suas obrigações iniciáticas com Altanira Maria Conceição Souza (Mãe Mirinha de Portão) do Nkisi Mutalombô, filha do lendário Pai de Santo Joãozinho da Goméia, no Terreiro São Jorge Filho da Goméia, onde permaneceu até o desaparecimento da Mameto dya Nkisi em 18 de fevereiro de 1989.

A partir daí, dedica-se aos estudos e gradua-se como bacharel em Secretario Executivo pela Universidade Católica do Salvador, trabalha como Produtor Executivo em diversas emissoras de TV da cidade e no ano de 1996 aos 21 anos de iniciado no Candomblé funda o Terreiro Mokambo – Onzo Nguzo za Nkisi Dandalunda ye Tempo, em Salvador/BA, pelas mãos do seu Tata Kamukenge (Pai Pequeno) Gervásio da Silva (Zequinha), onde é o Sacerdote e continua mantendo a tradição religiosa banto recebida de seus ancestrais até a presente data.

Concluiu o curso de extensão em Gestão Social na UNEB – Universidade do Estado da Bahia no ano de 2004 e o Curso de Extensão Formação em História e Cultura Afro-brasileira e Africana na Faculdade Finom (Paracatu/MG) em 2008.

Participou do Livro Caminhos de Luz – Apostolados Afro-descendentes no Brasil, organizado por Denise Pini Rosalem da Fonseca e Tereza Marques de Oliveira Lima e editado em 2007 pela Editora PUC-RJ.

No dia 10 de novembro de 2008 defende a dissertação de mestrado intitulada: “Terreiro Mokambo – Espaço de Aprendizagem e Memória da Cultura Banto no Brasil”, recebendo o título de Mestre em Educação e Contemporaneidade pela UNEB – Universidade do Estado da Bahia, aprovado por unanimidade pela banca examinadora tendo seu trabalho de pesquisa indicado para publicação.

Tem seu livro “Terreiro Mokambo: Espaço de Aprendizagem e Memória do Legado Banto no Brasil” editado pela Fundação Cultural Palmares, lançado nacionalmente no dia 17 de novembro de 2010 em Brasília, no auditório da Fundação Palmares como parte do projeto Diálogo Culturais Palmares, dentro da semana de consciência negra, sob a orientação do CNIRC – Centro Nacional de Referência e Informação da Cultura Negra e lançada em Salvador no dia 21 de dezembro de 2010 na Casa de Angola na Bahia.

Colaborou com o livro “As Muitas Áfricas – Tradição, memória e resistência”, organizado por Michela Rosa Di Candia e Tereza Marques de Oliveira Lima, editado em 2011 Letra Capital Editora.

Teve participação no livro “Educação, região e territórios” organizado por Jaci Maria Ferraz de Menezes, Elizabete Conceição de Santana e Maria do Sacramento Aquino, editado em 2014 pela EDUFBA.

Participou do V SIALA – Seminário Internacional Acolhendo as Línguas Africanas, na UNEB em Salvador/BA, de 22 a 26/09/2014, coordenando as mesas com os temas: Religiões Africanas, Afro-ameríndias e seus falares, com o Professor Doutor Olasopé Olyelaran (USA) e a Professora Doutoranda Montserrat Fitó (Guiana Francesa) e Saberes Tradicionais e Suas Linguagens com o Professor Doutorando Jaime Sodré (UNEB), a Professora Doutora Vanda Machado (UFBA) e o Professor Doutor Eduardo Oliveira (UFBA).

Participou do III Seminário Internacional de Ações Afirmativas, Consciência Negra, uma prospecção para o Século XXI, na UNIME em Lauro de Freitas/BA, dia 10/10/2014 apresentando o trabalho “A importância dos Memoriais e Museus nos Terreiros de Candomblé”.

Doutorando da UFBA no Programa Multidisciplinar e Multi-Institucional em Difusão do Conhecimento.